Rússia ameaça cortar o envio de cereais para o Ocidente

Vice-presidente do Conselho de Segurança russo afirma que a “potencial” crise alimentar a nível global é provocada pelas “sanções ocidentais”.



TÓPICOS

O vice-presidente do Conselho de Segurança russo, Dmitri Medvedev, declarou esta sexta-feira que a Rússia vai cortar a exportação de cereais para protecção do próprio mercado, afirmando que a “potencial” crise alimentar a nível global é provocada pelas “sanções ocidentais”.

“Os países importadores do nosso trigo e outros alimentos vão ficar muito mal sem os abastecimentos da Rússia. Nos campos europeus, sem os nossos fertilizantes, vai crescer apenas erva daninha. Pois, temos pena. Eles é que têm a culpa”, defendeu Medvedev.

O chefe de Estado russo entre 2008 e 2012 indicou ainda que, perante a situação, o “Ocidente” deveria renunciar à política de sanções, que considerou “infernais”.

“Fica demonstrado mais uma vez que estas sanções infernais não valem um centavo quando se trata de assuntos vitais, como os abastecimentos de hidrocarbonetos destinados ao aquecimento das casas e de comida para alimentar as pessoas”, sublinhou.

Segundo o ex-chefe de Estado, a Rússia está disposta a cumprir plenamente os compromissos, mas acrescentou que “precisa do apoio do ‘Ocidente’”.

“Caso contrário, não é lógico: por um lado, impõem-nos sanções demenciais e, por outro lado, exigem-nos o abastecimento de alimentos. Isto não pode ser. Não somos idiotas. Insisto: não vai haver abastecimento ao exterior em detrimento do nosso mercado”, acrescentou.

A Rússia é o maior exportador mundial de trigo, e a Ucrânia o quinto exportador a nível global.

Ler mais
PUB