Recorde de mais de 360 milhões de cristãos perseguidos no mundo em 2021

Segundo organização cristã internacional, o Afeganistão liderou este ranking, sendo seguido pela Coreia do Norte, a Somália, a Líbia, o Iémen, a Eritreia e a Nigéria.



TÓPICOS

Mais de 360 milhões de cristãos foram “fortemente perseguidos e discriminados” devido à sua fé em 2021, tendo o Afeganistão sido o pior país da lista, cujos números representam uma subida de quase 6% em relação aos 340 milhões de perseguidos em 2020, observa. “A perseguição atingiu um nível recorde”, alertou, esta quarta-feira, o director da organização cristã internacional Portas Abertas de França e Bélgica, Patrick Victor, em conferência de imprensa.

A organização publica um “índice global” anual sobre a perseguição aos cristãos, listando todos os ataques, desde a “opressão diária discreta” até à “violência mais extrema”.

Entre 1 de Outubro de 2020 e 30 de Setembro de 2021, “mais de 360 milhões de cristãos” — católicos, ortodoxos, protestantes, baptistas, evangélicos, pentecostais, entre outras práticas – de 76 países foram “fortemente perseguidos e discriminados”. Segundo o relatório, no ano passado, 5898 cristãos foram mortos, um aumento de 24% em relação ao ano anterior, quando foram contabilizadas 4761 vítimas mortais. Oito em cada dez cristãos mortos estavam na Nigéria. Além disso, o número total de igrejas fechadas, atacadas e destruídas subiu para 5110 no ano passado, contra 4488 em 2020.

O Afeganistão liderou o ranking de perseguição anual em 2021, sendo seguido pela Coreia do Norte, a Somália, a Líbia, o Iémen, a Eritreia e a Nigéria.

No Afeganistão, a perseguição ganhou “uma nova dimensão com a tomada do poder pelos talibãs”. Segundo o responsável da Portas Abertas Guillaume Guennec, “os homens convertidos são mortos no local e as mulheres ou as meninas são violadas ou casadas à força com jovens talibãs”.

A Portas Abertas França foi criada em 1976 e faz parte da rede Open Doors International (Portas Abertas Internacional).

Ler mais
PUB