Presidente do Haiti assassinado a tiro em casa

Informação foi avançada pelo primeiro-ministro cessante, Claude Joseph. Ataque aconteceu durante a noite.



O Presidente do Haiti, Jovenel Moise, foi assassinado a tiro esta noite, anunciou o primeiro-ministro cessante, Claude Joseph, em comunicado. Na declaração ao país, Joseph falou em “acto odioso, desumano e bárbaro”.

Segundo o chefe de governo, o ataque foi perpetrado por um comando formado por elementos estrageiros e Moise foi morto na sua residência particular no bairro de Pelerin, em Port-au-Prince.

A mulher do Presidente foi ferida no ataque e hospitalizada, revelou Joseph, apelando à população para manter a calma e indicando que a polícia e o exército assegurarão a manutenção da ordem.

O homicídio acontece numa altura de grande instabilidade política e económica e de aumento da violência de gangues neste país das Caraíbas, o mais pobre do continente americano e um dos mais pobres do mundo.

Os números da violência no Haiti são avassaladores: segundo os dados mais recentes do Centro de Análise e Investigação em Direitos Humanos mais de 150 pessoas foram assassinadas e outras 200 foram sequestradas entre 1 e 30 de Jungo na área metropolitana da capital.

Moise, de 53 anos, foi eleito Presidente do Haiti em 2016 e assumiu funções a 7 de Fevereiro de 2017. Era muito contestado por grande parte da população, sendo acusado de nada fazer perante a crise. Cedeu ao apelo da comunidade internacional para realizar eleições presidenciais livres e transparentes até final deste ano. Na passada segunda-feira, nomeara um novo primeiro-ministro, Ariel Henry, com a principal missão de realizar esses mesmo actos eleitorais.

Em actualização

Ler mais
PUB