Portugal e Finlândia convictos de adesão à NATO apesar de ameaça de veto turco

Presidente da Turquia manifestou esta sexta-feira a sua hostilidade à adesão da Finlândia e Suécia à NATO.



Os chefes da diplomacia da Finlândia e Portugal manifestaram em Helsínquia a convicção sobre a adesão do país nórdico e da vizinha Suécia à NATO.

“A NATO integra 30 Estados soberanos, que adoptam individualmente as suas decisões. No entanto, na minha experiência de discussões na NATO, nunca houve dificuldades sobre a ideia de a Finlândia ou Suécia aderirem”, disse esta sexta-feira o ministro dos Negócios Estrangeiros português, João Gomes Cravinho, em declarações conjuntas com o seu homólogo finlandês Pekka Haavisto.

“Estou confiante que será um processo que vai decorrer rapidamente e com naturalidade no futuro próximo”, acrescentou, após manifestar a esperança numa solução consensual nos processos de adesão, que incluem diversas fases.

“Do lado português, pensamos que através do diálogo com os aliados no seio da NATO, e com a Finlândia na perspectiva de se tornar um Estado-membro, será possível encontrar soluções. Apenas vi as manchetes, não posso comentar em substância, mas estou certo de que existe um espaço para que a Finlândia e Suécia se juntem à NATO” com as questões pendentes a poderem ser solucionadas “nos próximos dias”, declarou o governante.

O Presidente da Turquia, Recep Tayyip Erdogan, manifestou a sua hostilidade à adesão da Finlândia e Suécia à NATO.

Ler mais
PUB