Nova polémica em Downing Street: reveladas duas festas na véspera do funeral do príncipe Filipe

Jornal britânico revela que funcionários da residência oficial de Boris Johnson realizaram duas festas de despedida na altura em que o país estava confinado e de luto. Primeiro-ministro não terá estado presente, mas deputados pedem a sua demissão.



Um dia após Boris Johnson ter pedido desculpas por participar numa festa nos jardins da residência oficial do primeiro-ministro quando o país se encontrava em confinamento, o número 10 de Downing Street está novamente envolto em polémica. Desta vez, avança o The Telegraph, os funcionários organizaram duas festas de despedida de dois colegas no dia 16 de Abril, véspera do funeral do duque de Edimburgo.

Apesar de, segundo um porta-voz, o primeiro-ministro não ter estado presente em nenhuma das festas, uma vez que passou esse fim-de-semana na sua casa de campo, os acontecimentos levantam dúvidas sobre uma cultura de infracção em Downing Street.

De acordo com fontes não identificadas, terá existido álcool, dança e música nas festas que decorreram até bem depois da meia-noite. No total terão participado nos eventos perto de 30 pessoas, detalha o jornal britânico.

Na altura, além das medidas de restrição adoptadas pelo Governo incluírem a proibição de ajuntamentos entre pessoas de agregados familiares diferentes, estava em vigor um período de luto nacional devido ao falecimento do príncipe Filipe, marido da Rainha Isabel II.

Este episódio levou os partidos da oposição a renovarem os pedidos de demissão do chefe do executivo britânico.

À BBC, o governo de Boris Johnson confirmou a existência de um discurso de despedida, mas recusou tecer comentários sobre o consumo de álcool e dança nas alegadas festas.

Angela Rayner, deputada trabalhista, já reagiu às notícias, atribuindo “a responsabilidade dos comportamentos no número 10” ao primeiro-ministro. “[Nessa altura] a Rainha estava em casa a fazer o luto, assim como muitos outros, lidando com o trauma e sacrifício de o fazer sozinha para respeitar as regras” impostas pela pandemia, acrescentou.

Ler mais
PUB