General dos Emirados Árabes Unidos acusado de tortura foi eleito presidente da Interpol

Várias organizações internacionais tinham deixado alertas relativos à candidatura de Ahmed Naser al Raisi, que acusam de ser um dos máximos responsáveis policiais dos Emirados.



O general Ahmed Naser al Raisi, dos Emirados Árabes Unidos, acusado de promover práticas de tortura, foi esta quinta-feira eleito presidente da Interpol para um período de quatro anos.

Várias organizações internacionais, entre as quais a Human Rights Watch, tinham deixado alertas relativos à candidatura de Al Raisi, que acusam de ser um dos máximos responsáveis policiais dos Emirados Árabes Unidos.

Em Abril, o ex-procurador inglês David Calvert-Smith publicou um relatório referindo que Al Raisi “coordenou o aumento da repressão contra os dissidentes” através de práticas de tortura e de abusos do próprio sistema judicial dos Emirados.

A organização Centro de Direitos Humanos para o Golfo interpôs uma denúncia contra o general em França - onde se encontra a sede da Interpol -, alegando que o activista político Ahmed Mansur foi alvo de torturas nos Emirados Árabes Unidos.

Ler mais
PUB