FBI faz buscas na residência de Trump em Palm Beach

É a segunda vez este ano que a propriedade é alvo de buscas por parte das autoridades norte-americanas, motivadas pela forma descuidada como Donald Trump lidava com documentos oficiais.



A mansão Mar-a-Lago, de Donald Trump, foi alvo, na manhã desta segunda-feira, de uma rusga por parte do FBI. Em causa estão documentos que o ex-Presidente norte americano terá trazido consigo para a residência e guardado de forma ilícita, após deixar o cargo na Casa Branca. Trump queixa-se de não ter sido notificado, considerando a rusga “desnecessária” e “inapropriada”, dizendo ainda que as autoridades lhe violaram um cofre pessoal.

A notícia, adiantada pelo The New York Times, dá conta de que Donald Trump, após sair derrotado das eleições de 2020, atrasou-se em vários meses na devolução de 15 caixas de material classificado pertencente ao Arquivo Nacional, fazendo-o apenas quando ameaçado de uma acção legal iminente.

Desconfiando de que o antigo Presidente poderia ter mais documentos consigo, o FBI avançou com a rusga. Uma busca à propriedade de um antigo Presidente terá exigido autorização dos mais altos responsáveis do Departamento de Justiça dos EUA, segundo o diário norte-americano.

Em declarações ao website conservador Breitbart, Kash Patel, antigo líder do Departamento de Defesa, garante que, antes de abandonar o governo, Trump terá desclassificado “conjuntos inteiros” de material secreto. Enquanto Presidente, Trump tinha o poder de tornar público o material classificado que bem entendesse, um comportamento que, segundo o Times, foi recorrente ao longo do mandato. Fê-lo, por exemplo, com uma imagem secreta de uma base de lançamento de mísseis no Irão, captada por um satélite espião. Acabou por publicar a fotografia na sua conta oficial do Twitter.

A investigação foi ainda motivada pelo historial de Donald Trump na forma como lidava com os documentos. Segundo o The New York Times, o ex-Presidente rasgava partes dos mesmos, o que obrigava oficiais da Casa Branca a colá-los de volta.

É a segunda vez este ano que a mansão de Mar-a-Lago, na Florida, foi alvo de buscas por parte das autoridades norte-americanas, à procura de documentos oficiais. A primeira ocorreu durante a Primavera, envolvendo um pequeno grupo de agentes federais.

Ler mais
PUB