Eleições na Alemanha. Candidato da CDU dobra mal boletim e deixa voto visível

A comissão federal de eleições indica que os boletins devem ser dobrados de forma a manter o voto secreto. Porém, o organismo considerou o voto de Laschet válido.



O processo eleitoral na Alemanha, para escolher o novo Parlamento e o sucessor de Angela Merkel, ficou marcado por um lapso do candidato da CDU, Armin Laschet, que dobrou mal o boletim, deixando visível o voto (no seu próprio partido, como esperado).

A comissão federal de eleições indica que os boletins devem ser dobrados de forma a manter o voto secreto, contudo, o organismo considerou o voto de Laschet válido por se tratar de um “político nacionalmente conhecido” que, como esperado, votou no seu próprio partido. O organismo considera, portanto, que não houve intenção de influenciar as eleições.

As urnas no país fecham às 18h00 locais (17h00 em Lisboa). Pouco depois devem surgir as primeiras projecções.

Ler mais
PUB