Derrota do Partido Conservador em eleições para o Parlamento acentua crise de Boris Johnson

O primeiro-ministro britânico rejeita aceder aos renovados pedidos de demissão. Presidente dos conservadores apresentou a demissão e disse que “alguém tem de assumir a responsabilidade”.



O Partido Conservador perdeu as duas eleições parciais para o Parlamento que decorreram esta quinta-feira no Reino Unido. Os Liberais Democratas venceram em Tiverton e Honiton, no sudoeste de Inglaterra, e conquistaram assim um assento parlamentar que era dos conservadores. Já em Wakefield, o Partido Trabalhista recuperou o lugar que perdeu para o Partido Conservador nas eleições de 2019.

As duas derrotas acentuaram a crise de Boris Johnson e fragilizaram ainda mais a sua posição como primeiro-ministro e como líder do Partido Conservador. Na sequência do descalabro nestas duas eleições, o presidente dos conservadores, Oliver Dowden, apresentou a demissão, explicando que estes são “os últimos de uma série de resultados muito fracos para o partido”.

Segundo a AFP, Dowden, um fiel aliado de Boris Johnson, acrescentou numa carta enviada ao primeiro-ministro que “alguém tem de assumir a responsabilidade pelos acontecimentos recentes”, no que parece ter sido uma referência não só aos maus resultados eleitorais, mas também às consequências do “Partygate” e de outros escândalos em que o líder britânico está envolvido.

“Os nossos militantes estão irritados e desapontados com os acontecimentos recentes, e eu partilho os seus sentimentos. Não podemos continuar o trabalho como habitualmente”, frisou Oliver Dowden na carta dirigida a Boris Johnson.

Após a derrota eleitoral e a demissão de Dowden subiram de tom os pedidos para que o primeiro-ministro também se demitisse mas, mais uma vez, Johnson afastou esse cenário, apesar de reconhecer os “resultados difíceis”.

“Claramente, temos de prestar atenção a estes resultados”, afirmou o líder britânico, que está no Ruanda para participar na cimeira da Commonwealth. “Vamos continuar, vamos responder às preocupações das pessoas”, sublinhou.

Em 2024 há eleições legislativas gerais no Reino Unido. Se repetir o resultado destas duas eleições parciais, o Partido Conservador poderá sofrer uma derrota histórica.

Ler mais
PUB