“Decisão inequívoca”. Putin formaliza anexação de quatro regiões ucranianas

Para o presidente da Rússia, os habitantes de Lugansk e Donetsk, Kherson e Zaporijia “vão tornar-se cidadãos russos para sempre” e serão defendidos por “todos os meios necessários”.



Vladimir Putin confirmou esta sexta-feira a anexação das regiões ucranianas de Donetsk, Lugansk, Zaporijia e Kherson e sublinhou que as populações destas regiões fizeram uma opção “inequívoca” para se unirem à Rússia. O presidente da Rússia deixou desde já o aviso que estas regiões serão protegidas por “todos os meios necessários”.

“É uma decisão inequívoca”, sublinhou Putin num discurso prévio à assinatura dos tratados de anexação com quatro províncias ucranianas na Sala de São Jorge no Grande Palácio do Kremlin, e após os referendos denunciados por Kiev e pelos países ocidentais.

“Os habitantes de Lugansk e Donetsk, Kherson e Zaporijia vão tornar-se cidadãos russos para sempre”, garantiu o Presidente perante a elite política do país. “As pessoas votaram pelo nosso futuro comum”, acrescentou Putin, que também exortou a Ucrânia a “terminar imediatamente as hostilidades”.

“Apelamos ao regime de Kiev para um cessar-fogo imediato, para que termine todas as hostilidades e regresse à mesa das negociações”, indicou no discurso perante o Governo, os deputados e senadores, e outros representantes do Estado russo.

As regiões ucranianas de Donetsk e Lugansk (leste) e Kherson e Zaporijia (sul) realizaram, entre 23 e 27 de setembro, referendos em que a maioria dos eleitores apoiou a separação da Ucrânia e a adesão à Federação Russa.

Os líderes das quatro regiões dirigiram-se esta semana ao líder do Kremlin para que Putin autorize a sua entrada urgente na Federação Russa.

Ler mais