“Consenso total” na UE para conceder estatuto oficial de candidato à Ucrânia

A oficialização deve ser aprovada na cimeira do bloco europeu desta semana. Zelensky já agradeceu a Costa pelo apoio de Portugal.



Há “consenso total” entre os líderes europeus para conceder o estatuto oficial de candidato à Ucrânia relativamente ao processo de adesão à União Europeia, como sinalizou esta terça-feira o ministro dos Assuntos Europeus de França, Clément Beaune, adianta a AFP.

A formalização deve ser aprovada já na Conselho Europeu da União que vai ter lugar quinta e sexta-feira. Será um passo simbólico mas que vai ao encontro das pretensões do Governo de Kiev.

Após uma reunião com os seus homólogos, Beaune salientou que existe “consenso total em avançar” com este processo, e para que a Ucrânia confirme “o estatuto de candidato o mais brevemente possível”.

Esta posição partilhada pelo ministro francês foi subscrita pelo ministro dos Negócios Estrangeiros do Luxemburgo, Jean Asselborn. “Estamos a trabalhar para chegar ao ponto em que dizemos a Putin que a Ucrânia pertence à Europa, que também vamos defender os valores que a Ucrânia defende”, vincou o governante luxemburguês.

Hoje, o presidente ucraniano Volodimir Zelensky revelou que falou com o primeiro-ministro António Costa, a quem agradeceu o apoio de Portugal na concessão do estatuto de candidato à União Europeia.

“Tive uma conversa com o primeiro-ministro António Costa. Agradeci-lhe o apoio de Portugal para a concessão à Ucrânia do estatuto de candidato à adesão à União Europeia. Concordámos usar a experiência de Portugal na nossa aproximação à União Europeia”, referiu Zelensky numa publicação no Twitter.

Os diplomatas europeus contactados pela Reuters indicaram que a Moldávia também deve receber o estatuto de candidato com grande probabilidade. Por outro lado, a Geórgia tem de cumprir com as condições exigidas pelo bloco europeu, nomeadamente ultrapassar o impasse político que atravessa.

Ler mais
PUB