Biden assina ordem executiva para atenuar efeitos da decisão do Supremo de ilegalizar aborto

Biden assinou uma ordem executiva para ajudar a proteger o acesso das mulheres ao aborto e à contracepção.



Sob pressão para fazer algo relativamente à ilegalização do aborto, o Presidente dos Estados Unidos assinou esta sexta-feira uma ordem executiva para atenuar os efeitos da decisão do Supremo Tribunal.

O Departamento de Saúde será orientado para tomar medidas, proteger e expandir o aborto através da medicação. Terá também de garantir cuidados médicos de emergência, serviços de planeamento familiar e contracepção. O Departamento de Saúde deve iniciar estes procedimentos e apresentar um relatório ao Presidente norte-americano no espaço de 30 dias.

A decisão de tornar inconstitucional o direito ao aborto nos Estados Unidos tomada pelo Supremo Tribunal no mês passado está a fazer com que mulheres com uma gravidez indesejada optem por viajar para estados ou países onde o procedimento é legal, ou então recorrer a uma opção menos segura, os abortos ilegais.

Apesar de todos os seus apoiantes estarem à espera de uma intervenção, os progressistas são quem mais desesperava por uma acção de Joe Biden. A pressão por medidas ainda mais musculadas vai continuar este sábado, dia em que vai decorrer uma manifestação organizada pela Marcha das Mulheres em Washington D.C.

Ler mais
PUB