Aprovada a dissolução do parlamento em Israel, que vai para a quinta eleição em três anos

Os deputados israelitas aprovaram a dissolução do parlamento e convocaram eleições legislativas para Novembro. Yair Lapid assume o cargo de primeiro-ministro de forma interina.



Esta quinta-feira, os deputados israelitas votaram e aprovaram a dissolução do parlamento, o Knesset, de acordo com o The New York Times. Com esta votação, os deputados fizeram cair o governo de coligação que estava no poder e convocaram os eleitores para novo escrutínio para o dia 1 de Novembro. Esta será a quinta eleição legislativa em Israel em cerca de três anos e meio.

Yair Lapid vai ser primeiro-ministro interino, o que não lhe vai dar grande margem para fazer mudanças políticas de fundo nos próximos meses.

As novas eleições vão dar a Benjamin Netanyahu, o antigo primeiro-ministro e líder da oposição, a oportunidade de voltar ao poder. Ainda que isso seja difícil de se concretizar. As sondagens indicam que o Likud, o partido de Netanyahu, deve continuar a ser o partido com maior representação no Knesset, mas também demonstram que terá dificuldades em formar uma aliança que lhe permita formar uma coligação maioritária.

Um cenário que deixa antever o prolongamento da instabilidade política em Israel, o que não agrada aos cada vez mais frustrados eleitores israelitas. As eleições antecipadas tornaram-se rotina política no país.

O eleitorado tem estado dividido nos últimos anos entre os apoiantes e os críticos de Netanyahu, que está a ser julgado por corrupção. Naftali Bennett, o primeiro-ministro demissionário, já disse a membros do seu partido, o Yamina, que não vai concorrer nas próximas eleições, adianta o Haaretz. Esta decisão de Bennett abre caminho para a número dois do Yamina, Ayelet Shaked, liderar o partido nas novas eleições.

Ler mais
PUB