Aeroporto de Hong Kong proíbe circulação a passageiros de 153 países, Portugal incluído

Entre os mais de 150 países está Portugal e países lusófonos como Moçambique, Angola e Cabo Verde. Medida visa combater a propagação do SARS-CoV-2.



Hong Kong anunciou esta sexta-feira a proibição de trânsito de passageiros de mais de 150 países a partir de domingo, entre os quais Portugal – uma medida que, justificou o aeroporto, visa combater a propagação da covid-19.

A região administrativa especial já tinha proibido o acesso ao seu território a qualquer passageiro que nos últimos 21 dias tivesse permanecido mais de duas horas na Austrália, Estados Unidos, França, Canadá, Índia, Paquistão, Filipinas e Reino Unido. A proibição anunciada esta sexta-feira, em vigor durante um mês, reforça, assim, a lista de países já alvo da suspensão.

Entre os mais de 150 países está Portugal e países lusófonos como Moçambique, Angola e Cabo Verde.

Numa nota publicada no site do aeroporto é referido que a decisão visa “controlar a propagação da variante altamente contagiosa ómicron”.

A partir de domingo será impossível o trânsito através de Hong Kong para cidadãos dos países considerados de alto risco pela região. Contudo, as pessoas poderão entrar na cidade desde que vacinadas e submetidas a um isolamento de 21 dias.

A adopção e manutenção de medidas de isolamento rigorosas permitiu à cidade de 7,5 milhões de habitantes registar pouco mais de 12 mil casos de infecção pelo SARS-CoV-2 e 213 óbitos desde o início da pandemia.

Ler mais
PUB