ACNUR pede quase 700 milhões de euros para refugiados da Ucrânia na Polónia

Apelo está a ser coordenado pela agência da ONU, mas reúne 87 organizações que fazem parte, na Polónia, do Plano Regional Interagências de Resposta a Refugiados.



O Alto Comissariado da ONU para os Refugiados (ACNUR) pediu esta sexta-feira quase 700 milhões de euros para apoiar as necessidades prioritárias dos ucranianos que fugiram do seu país para a Polónia devido à guerra.

O apelo está a ser coordenado pela agência da ONU, mas reúne 87 organizações que fazem parte, na Polónia, do Plano Regional Interagências de Resposta a Refugiados.

“Até agora, 25% dos apelos para a Polónia foram financiados”, acrescentou a porta-voz da organização, Olga Sarrado, numa conferência de imprensa realizada em Genebra, na Suíça.

De acordo com a mesma fonte, o ACNUR vai expandir as suas operações para ajudar os refugiados na Polónia, que continua a ser o principal destino dos ucranianos em fuga.

Os refugiados que continuam a chegar, muitos deles sem planos nem recursos económicos, pedem ajuda sobretudo para aceder aos serviços de saúde, mas também há muitos pedidos para apoio em questões como “transportes, dinheiro, necessidades psicossociais, alojamento e acesso a serviços sociais, incluindo para pessoas com deficiência e idosos”, explicou a porta-voz.

“O ACNUR lançou o seu programa de assistência em dinheiro em Março” e, “a partir de hoje, estabelece oito centros de inscrição para apoio financeiro nas principais áreas de acolhimento de refugiados, incluindo Varsóvia, Cracóvia, Poznan, Wroclaw, Ostroda, Gdynia e Gdansk”, adiantou a responsável, indicando que mais de 100 mil refugiados da Ucrânia já receberam apoio financeiro do ACNUR para cobrir necessidades básicas.

Ler mais
PUB