UE aprova lei para obrigar companhias aéreas a pagarem mais por poluir

Atualmente, as companhias aéreas que operam voos dentro da Europa precisam de apresentar licenças do mercado de carbono para cobrir as suas emissões, mas a UE concede a maioria dessas licenças gratuitamente. Isso está prestes a mudar com esta lei que eliminará gradualmente essas licenças gratuitas até 2026, disseram à “Reuters” fontes familiarizadas com o acordo.



A União Europeia aprovou esta quarta-feira uma lei para aumentar o preço que as companhias aéreas devem pagar quando emitem dióxido de carbono, aumentando a pressão para que o sector recorra a alternativas aos combustíveis fósseis, avança a “Reuters”.

Atualmente, as companhias aéreas que operam voos dentro da Europa precisam de apresentar licenças do mercado de carbono da UE para cobrir as suas emissões, mas a UE concede a maioria dessas licenças gratuitamente. Mas tal deve mudar ao abrigo desta nova lei, que eliminará gradualmente essas licenças gratuitas até 2026, disseram à agência noticiosa fontes familiarizadas com o acordo.

Deste modo, as companhias aéreas terão que pagar pelas suas licenças de CO2, proporcionando um incentivo financeiro para que poluam menos.

Uma quantidade muito menor de licenças gratuitas de CO2 será disponibilizada para companhias aéreas que usam combustíveis de aviação sustentáveis (SAF) para compensá-los parcialmente pela diferença de preço entre face ao combustível fóssil, que é mais barato, acrescentaram as fontes.

Ler mais