Trabalhadores da Autoeuropa reclamam “aumento salarial extraordinário” para 2023

A comissão sindical do SITE/SUL na VW Autoeuropa defende que ”é urgente um aumento extraordinário dos salários para fazer face ao aumento brutal do custo de vida” e assegura que a empresa tem “condições” para responder de forma positiva a esta reivindicação, alegando os bons resultados comerciais da mesma, a que se associa o disparo da inflação, que está a fomentar a “perda do poder de compra”.



TÓPICOS

A comissão sindical do SITE/SUL na VW Autoeuropa defende que ”é urgente um aumento extraordinário dos salários para fazer face ao aumento brutal do custo de vida”, frisando que “tal aumento é justo e necessário e que existem todas as condições para que a administração responda de forma positiva a esta reivindicação”. O SITE/SUL reclama aumento para além dos valores que tinham sido acordados em Março, na ordem dos 2% nos próximos dois anos, num valor mínimo de 30 euros, para repor a perda do poder de compra devido ao aumento da inflação, que ronda agora os 9%.

A pretensão foi apresentada aos trabalhadores da fábrica em Palmela num comunicado distribuído, no final da semana passada, na fábrica da multinacional alemã, e, neste, o SITE/SUL recorda “que, apesar de todas as adversidades ocorridas, a administração continua a anunciar resultados históricos, inclusive prevê para este ano, novamente, valores bastante positivos”. O sindicato tem destacado aqui que o T-Roc, o carro made in Portugal, foi o campeão europeu de vendas em Julho.

Para este sindicato, “o resultado final da negociação do caderno reivindicativo, nomeadamente no que se refere ao aumento salarial de 2%, com um mínimo de 30 euros, foi insuficiente e não garantiu a reposição do poder de compra dos trabalhadores em 2022 e 2023 – como o SITE/SUL sempre afirmou e reforçou num comunicado, a 2 de Abril”.

As novas estimativas apontam para a produção de cerca de 230 mil unidades para todo o ano de 2022, segundo comunicado da comissão de trabalhadores da fábrica, divulgado em Julho, com a nova estimativa a ficar atrás do recorde de 2019, quando saíram 254 600 automóveis da unidade do grupo Volkswagen em Portugal.

No início do ano, a administração da Autoeuropa apontava para a produção de 204 mil unidades, menos 53 mil do que a actual capacidade máxima das linhas de montagem, devido aos problemas que então enfrentava no fornecimento de semicondutores.

Ler mais