OE2021. Pagamentos em atraso ascendem a 718 milhões de euros no final de Maio

Registou-se um aumento de 332,3 milhões de euros relativamente ao período homólogo de 2020.



Os pagamentos em atraso das entidades públicas ascenderam a 717,9 milhões de euros no final de Maio, registando um aumento de 332,3 milhões de euros relativamente ao período homólogo de 2020.

Na comparação com o valor observado no final de Abril, os pagamentos em atraso registaram também um aumento de 82,7 milhões de euros, segundo adianta a Síntese de Execução Orçamental divulgada esta sexta-feira pela Direcção-Geral do Orçamento (DGO).

No final de Abril, os pagamentos em atraso totalizavam 654,7 milhões de euros, superando em 173,2 milhões de euros o valor verificado no final do primeiro quadrimestre de 2020.

Para a subida homóloga, contribuíram, sobretudo, os Hospitais EPE, que registaram um aumento de 353,5 milhões de euros, indica a DGO, sendo aquela "atenuado pela diminuição de 27 milhões de euros na Administração Regional e de 9,3 milhões de euros nas Empresas Públicas Reclassificadas".

Relativamente à variação mensal, o maior contributo verificou-se nos Hospitais EPE com um aumento de 90,3 milhões de euros.

A execução orçamental até Maio dá conta de um agravamento homólogo do défice das contas públicas em 1.895 milhões de euros, para um total de 5.401 milhões de euros, explicado pelos efeitos da pandemia.

Ler mais
PUB