INE confirma: taxa de inflação acelerou para 9,1% em Julho

A variação média do IPC nos últimos doze meses foi de 4,7%. Em Junho, a média era de 4,1%.



O Índice de Preços no Consumidor (IPC) variou 9,1% no mês de Julho deste ano, em relação ao mesmo mês do ano passado. Trata-se de uma taxa 0,4% superior à de Junho de 2022 e é a mais elevada desde Novembro de 1992. A informação foi adiantada esta quarta-feira, pelo Instituto Nacional de Estatística (INE), confirmando a estimativa apresentada no final do mês passado.

O indicador de inflação subjacente (índice total excluindo produtos alimentares não transformados e energéticos) também acelerou. Em Junho, a variação era de 6,0%. Agora está em 6,2%. “A variação do índice relativo aos produtos energéticos”, por sua vez, “situou-se em 31,2% (0,5% inferior ao valor do mês precedente), enquanto o índice referente aos produtos alimentares não transformados apresentou uma variação de 13,2%”, sendo que, em Junho, era de 11,9%, acrescenta o INE.

A variação média do IPC nos últimos doze meses foi de 4,7%. Em Junho, a média era de 4,1%.

Outro valor apresentado pelo INE é o Índice Harmonizado de Preços no Consumidor (IHPC), que apresentou uma variação homóloga de 9,4%, uma taxa 0,4% superior à do mês anterior e 0,5% superior ao valor estimado pelo Eurostat para a área do Euro (em Junho, esta diferença tinha sido de 0,4%). Trata-se de um “novo valor mais elevado registado desde o início da série do IHPC, em 1996”, adianta o relatório.

Excluindo produtos alimentares não transformados e energéticos, o IHPC em Portugal atingiu uma variação homóloga de 6,9% em Julho (estava em 6,6%, em Junho), valor superior à taxa correspondente para a área do Euro, estimada em 5,0%. Mantém-se, com isto, o perfil “marcadamente ascendente” que se tem verificado nos últimos meses, conclui o INE.

Ler mais
PUB