Igualdade salarial. Licenciadas ganham 73% dos salários de homens com as mesmas qualificações

Relatório da OCDE indica ainda que, em Portugal, “as mulheres jovens têm menos probabilidade de ter emprego do que os homens”.



Um relatório da Organização para a Cooperação e Desenvolvimento Económico (OCDE) sobre o estado da educação no mundo - “Education at a Glance 2021” - indica que as mulheres portuguesas têm mais problemas em arranjar emprego e as licenciadas ganham apenas 73% do salário dos homens em empregos com as mesmas qualificações. Barreiras presentes mesmo que tenham melhores desempenhos escolares e chumbem menos do que os rapazes.

“As mulheres jovens têm menos probabilidade de ter emprego do que os homens, especialmente aqueles com níveis de educação mais baixos”, pode ler-se no relatório da OCDE, adiantando-se que, no ano passado, apenas 65% das mulheres entre os 25 e os 34 anos que tinham concluído o 9.º ano estavam empregadas, em comparação com 80% dos homens em Portugal.

Também os salários das mulheres em idade activa são mais baixos do que os dos homens na maioria dos países da OCDE: “As mulheres de 25 a 64 anos ganham menos do que seus pares do sexo masculino: os seus ganhos correspondem a 76%-78% dos ganhos dos homens em média nos países da OCDE.”

No caso concreto de Portugal, as mulheres com ensino superior auferem o correspondente a 73% do ordenado dos homens. Ou seja, pelo mesmo trabalho e com a mesma formação, um homem ganha 2.000 euros e uma mulher 1.460 euros. No caso dos trabalhadores com ensino básico, passa a ser um vencimento correspondente a 78% do valor recebido por um homem com as mesmas qualificações.

Ler mais
PUB