Dívida das famílias, empresas e Estado sobe para 757.500 milhões em Maio

No sector privado, o endividamento das empresas privadas aumentou 1.000 milhões de euros, evolução explicada principalmente pelo financiamento obtido junto do exterior.



O endividamento das famílias, empresas e Estado aumentou 4.000 milhões de euros em Maio face ao mês anterior, para 757.500 milhões de euros, divulgou esta quarta-feira o Banco de Portugal (BdP).

Num comunicado, o BdP adianta que esta subida do endividamento do setor não financeiro se deveu aos aumentos de 2.500 milhões de euros do endividamento do sector público e de 1.500 milhões de euros do endividamento do setor privado.

Do endividamento do sector não financeiro em Maio 346.400 milhões de euros eram do sector público e 411.100 milhões de euros do privado, afirma o banco central.

"A subida do endividamento do sector público resultou, sobretudo, dos acréscimos registados no endividamento junto do setor financeiro (1.500 milhões de euros) e no endividamento perante o exterior (800 milhões de euros).

No sector privado, o endividamento das empresas privadas aumentou 1.000 milhões de euros, evolução explicada principalmente pelo financiamento obtido junto do exterior (700 milhões de euros), indica o BdP.

Já o endividamento dos particulares aumentou 400 milhões de euros, reflectindo o financiamento obtido junto do sector financeiro.

Em Maio de 2021, a taxa de variação anual (tva) do endividamento total das empresas privadas foi de 1,8%, menos 1,0 pontos percentuais do que em abril.

A tva do endividamento total dos particulares subiu para 2,3%, mais 0,4 pontos percentuais do que em Abril.

Ler mais