Combustíveis: táxis e autocarros recebem “cheque” de 190 e 1050 euros

Segundo o ministro do Ambiente, João Pedro Matos Fernandes, “a medida aplica-se durante cinco meses e é paga por uma só vez e à cabeça”.



Os táxis e autocarros a operar em Portugal irão receber, como medida de apoio ao aumento dos combustíveis, um “cheque” de 190 euros e 1050 euros, respectivamente.

“Aquilo que está previsto para os autocarros e táxis é um desconto idêntico para aquele que é para os particulares, 10 cêntimos por litro, mas com limites muito diferentes”, detalhou à Lusa o ministro do Ambiente, indicando que “para os particulares são 50 litros por mês, para os táxis serão 380 litros por mês e para os autocarros 2100 litros por mês”.

Segundo João Pedro Matos Fernandes, “a medida aplica-se durante cinco meses e é paga por uma só vez e à cabeça”, ou seja, o Governo vai “transferir para cada táxi 190 euros e para cada autocarro 1050 euros” para assegurar “que o transporte colectivo e a oferta de transporte público se mantêm, sem necessidade de aumentos de preços provocados pelo aumento dos combustíveis”.

Este valor será pago por uma “transferência bancária à cabeça” e “chegará às empresas donas dos táxis e autocarros ainda este ano, valendo até ao final de Março”, referiu ainda o ministro.

A medida vigora entre 1 de Novembro e 31 de Março.

O governante explicou ainda que “não é preciso as empresas apresentarem nada”, visto que o Governo tem “no IMT [Instituto da Mobilidade e dos Transportes] o registo de todas as empresas e de todos os táxis e autocarros em funcionamento e, portanto, às matrículas que estiverem activas será enviado este mesmo valor”.

As famílias vão passar a receber, através do IVAucher, 10 cêntimos por litro de combustível até um limite de 50 litros por mês, anunciou esta sexta-feira o ministro das Finanças.

Ler mais
PUB