Banco de Portugal suspende coimas de 14 milhões aos falidos BES e ESFG

Multas aplicadas pelo Banco de Portugal ao BES e à ESFG nos processos de contra-ordenação não terão de ser pagas, após ser decretada a suspensão total da sua aplicação.



O Banco de Portugal determinou que fosse “totalmente suspensa” a aplicação das coimas aplicadas pelo banco central ao Banco Espírito Santo e à Espírito Santo Financial Group, ambos em insolvência, evitando assim que tenham que distribuir pelos credores 14 milhões de euros.

Segundo o Expresso, que noticia a decisão do BdP, o BES e a ESFG foram condenados, cada um, em quatro processos de contra-ordenação da autoridade bancária e sofreram coimas de 14 milhões de euros. A suspensão agora determinada é uma decisão que faz com que as entidades condenadas não tenham de pagar as coimas determinadas a não ser que comentam novas infracções num intervalo de tempo previamente definido - neste caso, explica o semanário, dois anos.

Nos quatro processos de contra-ordenação fechados pelo Banco de Portugal contra o BES, as coimas aplicadas ascenderam a 9,9 milhões de euros. Já a ESFG foi condenada no valor de 4,1 milhões de euros.

Ler mais
PUB