Recordar a amizade na tristeza dos maus momentos

O Sporting estreou-se na Liga dos Campeões com uma pesada derrota frente a um Ajax competente e de qualidade. O Jorge não iria conseguir dormir, mas amanhã lá estaria em Alvalade.



Amizade! Um conceito tão falado e tantas vezes apregoado que no seu sentido mais amplo representa o relacionamento humano que envolve afeição e conhecimento mútuo.

Para Platão, a amizade seria uma predisposição recíproca que torna dois seres igualmente ciosos da felicidade um do outro.

Um altruísmo genuíno pelo outro e pelo seu bem estar. A amizade que duplica as alegrias e divide as tristezas, que se sente sem se dizer, que é uma alma com dois corpos.

Pascal disse que o amor é cego, mas que a amizade fecha os olhos. Jorge de Sousa, 60 anos de vida, 38 deles dedicados ao seu, ao nosso Sporting Clube de Portugal.

Foi director no futebol, no andebol, no voleibol, mas acima de tudo foi contagiando todos aqueles que à sua volta tinham a sorte de poder servir o Sporting.

Contagiava-os com um amor sem fronteiras pelo clube e com uma lealdade que o fez empurrar um carro avariado pela segunda circular, por ter ficado sem gasolina em frente a uma bomba que dividia lucros com um clube rival...era a este ponto que o Jorge pensava e vivia Sporting.

Tive o privilégio de ser seu amigo e de com ele erguer um universo de partilhas diárias, do passado, do presente e do futuro, sempre com o Sporting como aliança de uma relação que se construiu de forma natural e solida e cheio de reciprocidade.

Jorge Sousa faleceu na passada sexta feira, deixando um vazio enorme na família e nos amigos, mas deixando tanto de si nos corredores de Alvalade, no antigo estádio, no novo, na nave, no pavilhão antigo e no PJR. Nunca quis para si as luzes do mediatismo e procurava sempre o lugar mais afastado dos holofotes, mas assumia em primeiro plano as tarefas necessárias para a subsistência e crescimento do Sporting.

O Sporting estreou-se esta noite na Liga dos Campeões com uma pesada derrota frente a um Ajax competente e de qualidade. Uma estreia amarga, sem brilho e que serve de alerta para os próximos cinco jogos da competição.

O Jorge não iria conseguir dormir, mas amanhã lá estaria em Alvalade, para começar já a preparar a próxima vitoria, fosse onde fosse, fosse contra quem fosse, em qualquer modalidade! Eternas saudades Jorge!

Ler mais
PUB