Nenhuma equipa vai poder ir a jogo com menos de 13 jogadores disponíveis

Alteração anunciada em comunicado após uma reunião de várias instituições, incluindo Federação Portuguesa de Futebol e Liga Portugal, na Cidade do Futebol, que ocorreu esta sexta-feira.



Através de comunicado, foi anunciada a decisão que saiu da reunião desta sexta-feira que decorreu na Cidade do Futebol e juntou na mesma mesa a Federação Portuguesa de Futebol, Liga Portugal, Sindicato de Jogadores, Associação Nacional de Treinador de Futebol, Associação Portuguesa de Árbitros de Futebol, a Associação Nacional de Médicos de Futebol e a Mesa do Plenário das Associações Distritais e Regionais de Futebol: nenhuma equipa vai a jogo com menos de 13 jogadores disponíveis.

Esta decisão surgiu na sequência do que ocorreu na partida B-SAD-Benfica, do último sábado. No jogo da 12.ª jornada no Jamor, os azuis entraram de início com apenas 9 elementos devido ao surto de covid-19 que está a afectar a equipa de Filipe Cândido. E aos 48 minutos o árbitro Manuel Mota interrompeu definitvamente o encontro no Estádio Nacional depois da equipa da casa ficar reduzida a 6 elementos, um a menos do mínimo previsto nas Leis de Jogo.

No comunicado publicado no site oficial da Federação Portuguesa de Futebol não fica esclarecido na totalidade que será cada equipa a necessitar de ter no mínimo 13 jogadores disponíveis, mas o NOVO apurou junto de fonte da Liga Portugal que é mesmo essa a interpretação correcta.

Leia o comunicado na íntegra:

Reunidos hoje na Cidade do Futebol, a Federação Portuguesa de Futebol (FPF), a Liga Portugal, o Sindicato dos Jogadores, a Associação Nacional de Treinadores de Futebol (ANTF), a Associação Portuguesa de Árbitros de Futebol (APAF), a Associação Nacional de Médicos de Futebol (AMEF) e a Mesa do Plenário das Associações Distritais e Regionais de Futebol entendem tornar pública a seguinte posição:

- A Comissão Executiva da Liga Portugal deve criar de imediato os mecanismos legais aplicáveis para que nenhum jogo de futebol se inicie em qualquer competição com um número inferior a 13 atletas, incluindo um guarda-redes;

- Todas as instituições hoje reunidas trabalharão em conjunto para que este objetivo seja alcançado e nunca mais se assista ao que no sábado passado lamentavelmente sucedeu no Estádio Nacional;

- Os mesmos responsáveis desejam aos atletas afetados e às suas famílias uma recuperação célere e um regresso à vida desportiva no mais curto espaço de tempo possível.

Ler mais
PUB