Janeiro mostrou como Portugal forma, potencia e exporta como muito poucos

Mais uma janela de mercado em que o trabalho dos clubes portugueses sai reforçado. O Benfica, em seis meses, valorizou Enzo Fernández, o jogador mais caro comprado por um clube da Premier League. O SC Braga vendeu Vitinha por 32 milhões ao Marselha e nestas contas não entra ainda Pedro Porro, cuja transferência só se efectiva a partir de 1 de Julho.

Os clubes portugueses voltaram a mostrar neste mercado de Janeiro que em Portugal se trabalha como se faz em poucos países no que diz respeito à formação e valorização de futebolistas.

Nesta janela de transferências, apenas a França conseguiu encaixar mais dinheiro em vendas, com Inglaterra, Espanha, Itália e Alemanha a ficarem a uma boa distância da Liga portuguesa. Claro está que para os (quase) 167 milhões de euros angariados pelos clubes nacionais contribuíram sobremaneira dois jogadores: Enzo Fernández e Vitinha.

O argentino, ao ser vendido pelo Benfica ao Chelsea por 121 milhões de euros, tornou-se a compra mais cara da história da Premier League. É bom realçar que o Benfica fez um negócio estratosférico mas não vai receber a totalidade da verba paga pelos londrinos, pois o River Plate tem direito a 25% do montante - cerca de 30 milhões de euros -, uma das premissas de que o clube argentino não abdicou quando se sentou à mesa das negociações com o Benfica.

Leia o artigo na íntegra na edição do NOVO que está, este sábado, dia 4 de Fevereiro, nas bancas.

$!Janeiro mostrou como Portugal forma, potencia e exporta como muito poucos
Ler mais