Factualmente, o pior Europeu da história da selecção nacional

Portugal termina pela primeira vez fora do top 8. Apenas um triunfo em quatro partidas.



A selecção portuguesa de futebol deixou este domingo morrer o sonho de revalidar o título europeu, ao cair nos oitavos do Euro2020 perante a Bélgica, selando a pior participação de sempre, cinco anos de depois da melhor.

Após o triunfo em 2016, selado no prolongamento da final com a França pelo herói Éder, Portugal ficou-se pelo primeiro jogo a eliminar, como em 1984, 1996 e 2008, mas na primeira ocasião nas ‘meias’ e nas duas seguintes nos quartos.

A formação das quinas acaba, assim, pela primeira vez fora do ‘top 8’, à oitava participação, e com apenas uma vitória, sobre a Hungria, repetindo que havia feito na estreia, em 1984, então também apenas em quatro jogos, mas numa fase final só para oito.

Os comandados de Fernando Santos selaram igualmente um registo negativo no que respeita a golos sofridos, com sete, superando os seis dos Europeus de 2004 e 2008. De positivo, apenas o facto de ter conseguido ultrapassar a fase de grupos, como nas sete participações anteriores, algo inédito entra as seleções com mais de duas presenças.

Depois de ter tido ‘toda a sorte do Mundo’ em 2016, a formação das quinas não se poderá, porém, queixar desse factor, pelo menos nos próximos 100 anos. Não foi ineficaz e está fora, passando da melhor prestação de sempre para a pior.

Ler mais
PUB