Carlos Amado: “Continuo a achar que o Governo não liga nada ao desporto”

Carlos Amado, presidente da Federação Portuguesa de Râguebi, é um homem “realizado” com a qualificação para o Mundial. Elogia o secretário de Estado João Paulo Correia, mas diz que continua a faltar um ministério e maior apoio do executivo de António Costa, na linha dos anteriores, a outras modalidades que não o futebol.



Portugal vai marcar presença no Mundial de râguebi após uma qualificação dramática, obtida diante dos Estados Unidos no último lance do jogo. Embora não esconda a satisfação com a qualificação para a competição, o presidente da Federação Portuguesa de Râguebi, Carlos Amado, mantém as queixas à falta de apoio do Governo ao râguebi e a outras modalidades que não o futebol.

“Continuo a achar que o Governo não liga nada ao desporto. Não é só este Governo, têm sido todos”, sintetiza o dirigente em declarações ao NOVO. “Não sou primeiro-ministro, mas se querem fazer uma aposta devia haver um ministério só para o desporto, há muito a fazer.”

Carlos Amado pede um orçamento maior para a federação que lidera, fala na necessidade de um estádio e tece rasgados elogios à dedicação dos jogadores que representam a selecção de râguebi. “Aqui existe o verdadeiro amor à camisola”, diz.

Leia o artigo na íntegra na edição do NOVO que está, este sábado, dia 26 de Novembro, nas bancas.

$!Carlos Amado: “Continuo a achar que o Governo não liga nada ao desporto”
Ler mais