137 jogadores defendem 28 selecções de países onde não nasceram

Apenas quatro equipas nacionais não chamaram futebolistas nascidos noutro país. Portugal conta com sete atletas nessas condições.



O que têm em comum Argentina, Arábia Saudita, Brasil e Coreia do Sul? Pois bem, são, na verdade, as únicas selecções presentes no Mundial 2022 que apenas chamaram jogadores nascidos entre as fronteiras do seu território. As restantes 28 equipas contam com “reforços”, sendo Marrocos aquela que mais “abusa”. Mais de metade dos 26 elementos chamados pelo seleccionador Anass Zaroury, imagine-se, não nasceram em Marrocos. Falamos de 14 jogadores que vão defender o seleccionado magrebino e cantar o respectivo hino, mas que viram a luz do dia pela primeira vez noutra nação.

Seguem-se a Tunísia e o Senegal, cada uma destas selecções com 12 unidades, muito influenciadas por “franceses” com pais africanos.

Aliás, a França empresta, por assim dizer, 38 jogadores, muitos deles com internacionalizações nas camadas jovens gaulesas mas que, na hora da verdade, optaram pela selecção do país de familiares directos e indirectos. Até Portugal conta com um francês, o lateral-esquerdo Raphael Guerreiro, campeão europeu por Portugal em 2016... mas há mais seis jogadores convocados por Fernando Santos que não nasceram em solo lusitano. Fique a saber quem são na edição impressa do NOVO deste sábado, 19 de Novembro.

$!137 jogadores defendem 28 selecções de países onde não nasceram
Ler mais