Folio regressa a Óbidos em Outubro para falar de literatura e do “outro”

O Folio - Festival Literário Internacional regressa a Óbidos entre os dias 14 e 24 de Outubro. Dezasseis mesas de autores, nove concertos, dez exposições e quatro oficinas de banda desenhada marcam a edição deste ano subordinada ao tema “O outro”.



É já no próximo mês de Outubro que Óbidos, distinguida em 2015 como Cidade Criativa da Literatura da UNESCO, recebe mais uma edição do Folio - Festival Literário Internacional, em formato presencial. Depois de ter sido adiado no ano passado devido à pandemia, o festival irá decorrer ao longo de dez dias, entre 14 e 24 de Outubro, e contar com a presença de 32 autores nacionais e estrangeiros.

Subordinado ao tema “O outro”, o festival terá no total 16 mesas de discussão em que se debaterão, entre outros, temas como a cor da pele, a violência de Estado, a liberdade de expressão, guerras, revoluções, o fim das democracias, uma Europa de migrantes e o sentimento de pertença a um lugar.

É nesse âmbito que a escritora Leïla Slimani vai conversar com o autor Juan Gabriel Vasquez e a jornalista Isabel Lucas vai dialogar com Itamar Vieira Júnior, enquanto Jeferson Tenório falará com Paulo Scott. Por sua vez, o historiador e ex-deputado Fernando Rosas vai conversar com Lilia Schwarcz, o norte-americano Richard Zimler com a britânica nascida na China Jung Chang e Mário Lúcio com Mário de Carvalho.

De acordo ainda com o programa anunciado esta quarta-feira, Alberto Manguel vai estar com Pedro Mexia, Ricardo Araújo Pereira com Dulce Maria Cardoso, João Paulo Borges Coelho com Ana Margarida de Carvalho, Ana Luísa Amaral com Amália Bautista, Tatiana Levy com Giovana Madalosso, Cláudia Andrade com Luís Cardoso, Ece Temelkuran com Daniel Innenarity, Ilja Leonard Pfeiffer com Davide Enia, Bruno Vieira do Amaral com Maria Antónia Oliveira e, a fechar, Daniel Sampaio estará à conversa com um autor ainda a designar.

Uma outra dimensão do festival, o Folio Ilustra, terá o seu ponto alto com a “PIM! Mostra de Ilustração Para Imaginar o Mundo” e a entrega do Prémio Nacional de Ilustração, que promove também conversas entre autores e o público, estando confirmadas as participações de Andreia Brites, Rita Pimenta, Sandy Gageiro, David Machado, Madalena Moniz, Ricardo Ladeira, Maurício Vieira, Jonathas Martins, Patrícia Portela e o escultor José Aurélio.

No capítulo da Folia, o cartaz, da responsabilidade da Fundação Inatel (parceira da organização), conta nesta edição com Ana Lains, Galandum Galundaina, Dead Combo, Maria Monda, Luta Livre, Mário Lúcio e Teresa Salgueiro, A Garota Não, Stereossauro e Diabo a Sete.

À Folia junta-se a Boémia que levará espetáculos musicais, leitura de poemas e DJ a espaços como o jardim do Espaço Ó, jardim do Solar da Praça de Santa Maria e Museu Municipal.

No que toca a exposições, além da “PIM”, o Folio apresentará mais nove, como “Flexágono. Faces da banda desenhada contemporânea portuguesa”, Jean Moulin em Portugal ou “Diário das Nuvens”, de João Francisco Vilhena, entre outras.

Lançamentos de livros, oficinas de escrita criativa, masterclasses, conversas com escritores e a apresentação do Curso de Turismo Literário (do Turismo de Portugal) são algumas das propostas avançadas pelo Folio +.

O Folio Educa voltará a ser palco do seminário internacional, este ano dedicado ao tema “Projetar uma educação em rede” e que abordará os desafios e oportunidades da transição para o digital, quer ao nível da leitura quer da educação e do ensino.

Nos restantes capítulos do festival mantém-se a curadoria da jornalista Ana Sousa Dias, no Folio Autores, em conjunto com Pedro Sousa, da Sociedade Vila Literária.

Entre as novidades desta edição a organização destaca ainda, no âmbito da programação da Fundação Gulbenkian, parceira do festival, o lançamento da colecção completa de obras do filósofo e ensaísta Eduardo Lourenço, que morreu no dia 1 de Dezembro de 2020, aos 97 anos. O percurso daquele que é considerado um dos maiores pensadores portugueses estará em destaque no penúltimo dia do festival, na programação do Folio +, no âmbito da qual Guilherme Oliveira Martins e José Carlos Vasconcelos serão oradores na mesa “Eduardo Lourenço: uma obra a ler e a estudar”.

A Folia fica, tal como na edição anterior, sob a responsabilidade da empresa municipal Óbidos Criativa e da Fundação Inatel. Por último, o Folio + fica a cargo da Livraria Ler Devagar, gerida por José Pinho.

Recorde-se que o festival teve a sua primeira edição em 2015, num investimento de meio milhão de euros, comparticipados por fundos comunitários. Logo no ano seguinte o Folio passou a ser suportado pela autarquia que, para este ano, prevê um orçamento próprio de 256 mil euros.

Ler mais
PUB