Cultura

À selecção de pinturas e esculturas inéditas num projecto pensado de raiz para a Fundação Calouste Gulbenkian, Fernão Cruz chamou “Morder o Pó”. Mas o terreno que ali se apresenta não é árido nem seco, pelo contrário. É emocional, íntimo, o seu próprio cabinet de curiosités, visitável até 17 de Janeiro do próximo ano.

PUB