Costa diz que alerta da ONU sobre o clima confirma “acerto da prioridade” do Governo

Primeiro-ministro defende que Portugal foi o primeiro país a comprometer-se, em 2016, com a neutralidade carbónica em 2050. “O percurso até 2030 é decisivo”, afirma.



O primeiro-ministro defendeu que o “alerta vermelho” dado pelo relatório da ONU sobre o clima “confirma o acerto” da “prioridade estratégica” do Governo, apontando a necessidade de atingir a neutralidade carbónica em 2050.

“O Alerta vermelho da ONU [Organização das Nações Unidas] confirma o acerto da nossa prioridade estratégica. Fomos os primeiros, logo em 2016, a comprometer-nos com a neutralidade carbónica em 2050. O percurso até 2030 é decisivo”, escreveu, esta terça-feira, António Costa no Twitter.

O primeiro-ministro aponta ainda para medidas como “mais eficiência energética e energia renovável; investir na economia circular, no uso eficiente da água e na mobilidade sustentável; reformar a floresta e liderar a agenda dos Oceanos”.

”Em suma, cumprir o programa do @govpt [Governo], executar o Roteiro Neutralidade Carbónica 2050”, conclui.

No sexto relatório do Painel Intergovernamental para as Alterações Climáticas (IPCC), os cientistas prevêem que a temperatura global subirá 2,7 graus Celsius em 2100 caso se mantenha o actual ritmo de emissões de gases com efeito de estufa.

Ler mais